Os Blocos de Rua são muito populares e tradicionais no Carnaval Brasileiro, embora já tenham passado por momentos de altos e baixos no gosto popular ao longo dos anos. Normalmente, são acompanhados por uma banda com instrumentos de percussão, carros de som ou trios elétricos. Antes, durante ou depois da passagem do Bloco, os foliões percorrem o mesmo trajeto, podendo estar caracterizados ou não.

Existem, atualmente, vários tipos de Blocos de Carnaval. Cada um com suas características próprias, as quais, muitas vezes, são influenciadas pela cultura da região onde se encontram.

Os Blocos de Enredo são muito comuns no Rio de Janeiro, embora também possuam representações em outros estados, como em São Paulo e Brasília. São animados com samba-enredo e possuem certa organização no desfile. Muitos deles também têm ligação com escolas de samba.

No Rio de Janeiro, também há registo de Blocos de Embalo. São blocos que distanciam da denominação de Enredo e preferem outros típicos de folia, como, por exemplo, o de clubes do frevo, típicos de Pernambuco.

Por falar em Pernambuco, os Blocos Líricos, comuns neste estado, percorrem as ruas acompanhados de uma orquestra de pau e corda com poucos metais e animam os participantes com muito frevo e marchinhas carnavalescas antigas. As pessoas os acompanham, geralmente, fantasiadas.

Os Blocos de Sujo, por sua vez, são populares em São Paulo e no Rio de Janeiro. Caracterizam-se pela desorganização e pelo improviso. Os foliões sabem nas ruas usando fantasias confeccionadas por eles mesmos, cantam marchinhas carnavalescas, sambas-enredos e outros tipos de músicas, como críticas políticas em tom bem-humorado.

Há ainda os Blocos das Piranhas, populares em todo o Brasil. Neles, homens vestem roupas de mulheres para brincar o Carnaval.

Por fim, os Blocos Afro, bastante frequentes na Bahia, valorizam cultura africana nas músicas, nos ritmos, nas vestimentas e nas fantasias. À frende deles, normalmente vem um conjunto percussivo, seguido por um trio elétrico.